Primeiros passos para analisar dados em nuvem: Criando um banco MySQL na AWS (Amazon Web Services)

Primeiros passos para analisar dados em nuvem: Criando um banco MySQL na AWS (Amazon Web Services)

Inscreva-se

Abordamos dados e análises dentro das empresas.

Receba novos artigos por e-mail


Compartilhe

Esse artigo é parte da nossa série para ajudar você a dar os primeiros passos para analisar dados em nuvem. Esperamos que você já tenha lido o nosso artigo anterior, onde ensinamos como criar uma conta na AWS.

Criando um banco MySQL na AWS

Para criar o seu banco MySQL na AWS, faça login na sua conta e siga os passos abaixo:

1) Escolha a sua região. No lado direito do menu superior, você tem a opção de escolher a região onde irá criar o banco. As regiões da AWS indicam em qual data center será criado o seu banco de dados e os preços por hora desse banco irão variar conforme a região. Criar um banco de dados em São Paulo, por exemplo, é bem mais caro do que criar na Virgínia, apesar de oferecer uma latência melhor. Como esse artigo é dedicado a bancos de dados analíticos (Data Warehouses e Data Lakes), achamos aceitável uma latência de alguns micro-segundos e iremos criar na região US East 1 (N. Virgínia):

2) Na barra de busca superior busque por “RDS” e então selecione o serviço RDS:

3) Na tela principal do RDS selecione “Criar banco de dados”:

4) Na tela de criação do banco de dados, selecione “Criação padrão” na seção de escolha do método de criação do banco, que é o método que usaremos neste tutorial:

5) Na próxima seção você deverá escolher o tipo do banco de dados a ser criado. Selecione a opção “MySQL”:

6) Na seção seguinte, você pode escolher um template de criação. A AWS oferece um benefício para novos membros chamada free-tier, que ajuda a economizar bastante durante os primeiros meses. Vamos selecionar essa opção conforme imagem abaixo:

7) Na seção abaixo, iremos configurar alguns detalhes do banco de dados, entre eles o identificador do servidor, o nome do usuário master e a sua senha. O seu preenchimento é algo bem simples, conforme figura abaixo. Preencha essas informações e não se esqueça de anotar a senha do usuário principal, já que essa informação não pode ser recuperada posteriormente:

8) A seção de configuração da instância já veio preenchida conforme o template de nível gratuito que escolhemos no passo 6, podemos mantê-la conforme imagem abaixo:

9) A seção de armazenamento também já virá preenchida conforme configurações do nível gratuito, não é necessário modificá-la:

10) Na seção de conectividade, você pode escolher a VPC onde irá criar o seu banco de dados, ou mesmo criar uma nova. Caso a sua conta seja recente, basta deixar a VPC que está selecionada. Ainda nessa seção, é importante alterar alguns detalhes para que o seu banco seja acessado de máquinas fora da sua rede, como por exemplo as suas ferramentas de visualização e análise (não se preocupe, iremos fazer um bloqueio de firewall na sua VPC mais para frente). Altere a opção de “Acesso Público” para “Sim”:

11) Na seção de grupo de segurança da VPC selecione a opção “Criar novo” e então dê um nome para o grupo de segurança:

12) Após essa configuração, encontre a seção de “Configuração Adicional” que estará logo no final da página conforme imagem abaixo:

13) Dê um nome inicial para o seu banco de dados, por exemplo, “kondado”:

14) Depois, basta ir até o final da página e clicar em “Criar banco de dados”:

15) Após alguns instantes, você será redirecionado para a página que lista os seus bancos de dados e poderá ver que o seu novo banco está sendo criado. Enquanto esse processo estiver rodando, vamos configurar as regras de segurança do seu banco de dados clicando sobre ele conforme imagem abaixo:

16) Na página do seu banco, (1) encontre a seção de “Segurança e Conexão” conforme imagem abaixo e (2) clique no nome do seu grupo de segurança:

17) Na tela do grupo de segurança, vamos colocar algumas regras sobre quem pode acessar o seu banco: (1) Localize a aba “Regras de entrada” e depois (2) clique em “Editar regras de entrada” conforme imagem:

18) Conforme você pode ver na imagem abaixo, o seu banco está aberto para ser acessado apenas por um IP. Caso queira manter essa configuração, você pode pular diretamente para o passo 24.

19) Para retirar a regra de acesso original, clique em “Excluir” à direita da regra:

20) Adicione novas regras clicando em “Adicionar regra” conforme figura. Uma nova regra deve ser adicionada para cada endereço de IP que deseja que acesse o seu banco:

21) Para adicionar uma nova regra, você deve selecionar a porta correta (3306 no caso do MySQL) na coluna “Tipo” conforme imagem abaixo:

22) Regras importantes de serem colocadas são o seu próprio endereço de IP (para permitir acessos com PowerBI por exemplo) e dos servidores da Kondado que podem ser encontrados clicando aqui, conforme imagem abaixo:

23) Após adicionar todos os endereços que desejar, clique em “Salvar regras”:

24) Volte para a página inicial do console do RDS, selecione “Bancos de dados” no menu esquerdo e selecione o seu banco de dados recém criado:

25) O seu banco está criado! Na página de “Segurança e conexão” você encontrará o endereço (host) do seu banco de dados, conforme imagem abaixo. O nome de usuário, senha e nome do banco de dados foram os preenchidos nos passos 7 e 13 do tutorial.

Adicionando o seu novo banco MySQL como destino na plataforma Kondado

Para saber como adicionar o banco MySQL que você acabou de criar como destino na plataforma Kondado, basta clicar aqui.

Publicado em 2022-06-07